Indicado de Trump para Departamento de Estado eleva tom contra Rússia e Cuba

A Rússia é um “perigo” e Cuba não presta contas por sua “conduta” sobre os direitos humanos, declarou nesta quarta-feira Rex Tillerson, nomeado do presidente eleito para chefiar o Departamento de Estado, que adotou a linha-dura em sua audiência de confirmação no Congresso.p>No segundo dia de audiências no Senado para avaliar as credenciais do gabinete escolhido por Trump, Tillerson pareceu tentar desmistificar sua história de laços próximos com o presidente russo, Vladimir Putin, e assegurar aos legisladores que manterá uma postura firme perante Moscou.p>”Enquanto a Rússia busca respeito e relevância no cenário mundial, suas atividades recentes desrespeitaram os interesses americanos”, disse Tillerson a senadores democratas e republicanos em uma abarrotada comissão de Assuntos Externos do Senado.p>As declarações do ex-presidente da ExxonMobil coincidem com um aumento das tensões com a Rússia pela ingerência de Moscou nas eleições presidenciais nos Estados Unidos, e – desde a terça-feira – por revelações nos meios, segundo as quais o governo russo teria informações comprometedoras sobre Trump.

Powered by WPeMatico